O caso da Escola do ABC e a importância de sermos tolerantes

1
445

Olá! Tudo bem? Vamos a reflexão de hoje?

*Autor: Marcos Liba

Na 5ª feira, dia 22, fomos mais uma vez surpreendidos com um novo episódio de violência escolar, ocorrido em São Caetano do Sul, onde um aluno atirou contra sua professora e suicidou-se em seguida. Diante do evento ocorrido em uma escola pública considerada padrão em nosso estado, a sociedade se questiona: Qual a causa? Bullying, problemas familiares, falta de controle da escola ou caos social? O que pode ser?

  • Considerando a complexidade de causas envolvidas, podemos concluir que são diversos os motivos que têm promovido o aumento da violência escolar em todo país, e, diante deste triste quadro, devemos voltar toda atenção para um elemento de suma importância, capaz de recuperar a paz no ambiente escolar e na sociedade como um todo: a tolerância!

    Marcos Liba

Se procurarmos por um significado abrangente da palavra tolerância encontraremos o seguinte: “Disposição de admitir, nos outros, modos de pensar, de agir e de sentir diferentes dos nossos: na vida social, a virtude mais útil é a tolerância”. Vemos que tal conceituação, encontrada no Google, é bastante importante na medida em que nos aponta para o fato de que a boa convivência e o respeito às individualidades, são condições essenciais para a consolidação de uma sociedade tolerante. Nós, pais e educadores, temos que estimular as habilidades de convivência e tolerância no comportamento de nossos filhos e educandos. Temos que praticar estas habilidades de modo efetivo para que tenhamos um ambiente em que o respeito à diversidade possa de fato existir.

E só existe tolerância se existe diálogo. É no cotidiano e através do diálogo e convivência que podemos conhecer e aprender com o diverso. Pais devem doar parte do seu tempo ao diálogo com seus filhos, no intuito de saber ouvi-los e mostrar maturidade apontando o que é certo ou errado, e, principalmente, proporcionar desenvolvimento através do intercâmbio de experiências. Pais e filhos devem aprender juntos, devem repensar valores e atitudes constantemente.

Já educadores devem perceber que a figura de detentor e transmissor de conhecimentos é coisa do passado. Óbvio que o conhecimento nunca deixou de ser importante, entretanto, só terá significado se for construído junto com o aluno, num espaço de trocas e construções. Se este processo é realizado, os alunos reconhecem na escola um sentido e, mais do que isto, passam a ver o professor como um educador, como alguém em quem podem confiar e dialogar, pressupostos essenciais para a promoção de um ambiente em que prevaleça o respeito e o cuidado com o outro.

  • Tenhamos sempre como meta a luta por uma educação ética, humana e responsável, realizações possíveis e viabilizadas, através do diálogo. Casos como o de São Bernardo do Campo e da escola de Realengo, ocorrido no início deste ano, podem ser evitados se a confiança e a conversa franca fizerem parte de modo efetivo do cotidiano escolar.

*Marcos Liba: Educador por amor e convicção. Licenciado em Ciências Sociais e especialista em Educação. Trabalhando como professor e gestor nas redes municipal e privada. Tendo a certeza de que a Educação é ponte para o desenvolvimento das pessoas.  Coordenador Pedagógico do COC Araraquara/SP. Autor do “Blog do Marcos Liba” 

Compartilhar
Mineiros.com
Conhecida como "cidade saúde", acolhedora e em rápida evolução e crescimento, antigamente denominada a Princesinha do Sudoeste, Mineiros convida todos a uma visita para conhecer e investir nessa promissora cidade. Curta e contribua com o site enviando suas histórias, fotos e sugestões.

1 COMENTÁRIO

  1. disse:Dona Guiomar,eu achei f3timo o seu texto!Ri a bee7a e entendo mecpletamonte o seu ponto de vista.Eu tenho a mesma impresse3o das reunie3o de pais (que se3o muito tediosas,diga-se de passagem!).A diferene7a e9 que eu sou a Tia Fri da histf3ria.rsEstar do outro lado e9 ainda pior,porque vocea gostaria muito de sair correndo dali,mas o diretor este1 passeando pelos corredores inspecionando os professores.Sempre tem um pai ou me3e que adora falar das proezas dos filhos e comee7a a contar histf3rias chatedssimas e vocea e9 obrigada a ouvir toda simpe1tica e interessada (com vontade de mandar calar a boca e ne3o poder fazer nada).E ainda ser obrigada a falar de comunicados e normas da escola (coisas que ningue9m quer saber)e no meio da sua fala ouve algue9m dizer: Professora,a reunie3o vai demorar muito? c9 que eu estou atrasada para tal coisa A senhora ainda pode fugir e eu?Bjs

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here