Bioluminescência no Parque das Emas é notícia na Globo

0
2555

Cupinzeiros iluminados misteriosos, nas nas noites quentes e úmidas da primavera e do verão datam desde o século XIII. Existiram diversas teorias ou lendas em razão desse fenômeno destacando-se o evento  fantasmagórico, brilho dos cupinzeiros pelo rodeio de insetos luminosos, bactérias luminescentes fixadas nos ninhos dos cupins, etc. Todos acordam e confirmam que é, sem dúvida, um efeito estético mágico, espetacular e atrativo de milhares de pessoas que podem conhecer pessoalmente essa beleza da natureza. Apenas a partir do século XX os estudos passaram a identificar as causas do fenômeno da Bioluminescência. A bioluminescência é, uma luz fria, não fosforescente, emitida por alguns organismos vivos com finalidades diversas, conforme a espécie e o grupo a que pertencem. Pesquisadores acreditam que os organismos que apresentam essa capacidade de emissão de luz, o fazem para atração de parceiros para a reprodução, captação de alimentos pela atração das presas e até como meio de defesa, entre outros fatores ainda não desvendados pela ciência.

Veja a reportagem no Jornal Hoje, a respeito do mistério dos cupinzeiros luminosos, fenômeno raro que acontece no bioma cerrado do Brasil central:

Veja o Vídeo

Em nosso Parque Nacional das Emas, onde temos a densidade de cupinzeiros de mais de 300 unidades por hectare, os organismos responsáveis pela bioluminescência são larvas de um tipo de vaga-lume, Pyrearinus termitilluminans, cujo nome científico está associado à luz (Pyrearinus: relacionado a fogo, luz). O fenômeno é facilmente observado no Parque das Emas na época do início das chuvas, iniciando-se o entardecer e o início da noite, principalmente quando ocorrem pancadas de chuvas nos dias mais quentes.

Cumpim bioluminescente Parque das Emas Mineiros

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here